sábado, 9 de janeiro de 2010

Alta tensão devido a choques entre a juventude italiana e imigrantes africanos.

O ambiente era esta manhã de grande tensão em Rosarno, na província italiana de Reggio Calabria, depois da violência de ontem à noite naquela zona meridional, quando imigrantes incendiaram carros e partiram montras de estabelecimentos, num protesto contra os ferimentos infligidos a dois africanos por jovens brancos.

Milhares de cidadãos de fora da União Europeia concentraram-se nas ruas, tendo dezenas de africanos partido os vidros de carros com barras de aço e pedras, ao mesmo tempo que incendiavam caixotes do lixo.

A polícia disse que pelo menos um carro foi atacado com os ocupantes no interior e que houve 34 feridos na sequência das desordens, tendo sido feitas sete detenções.

“Não somos animais” e “os italianos daqui são racistas”, gritavam os participantes nos protestos desencadeados depois de jovens brancos que iam numa viatura terem disparado espingardas de ar contra um grupo de africanos que regressava do trabalho rural, tendo ferido alguns deles.

Em toda a Calábria vivem mais de 20.000 estrangeiros que trabalham na apanha de fruta e de hortaliças; e desses uns 1.500 residem em fábricas abandonadas, sem água corrente nem electricidade, dizendo os grupos de defesa dos direitos humanos que são explorados pelo crime organizado, nomeadamente pela ‘Ndrangheta.

Os comportamentos xenófobos têm-se estado a banalizar na Itália, com alguns analistas a falarem mesmo de “racismo institucional”.

Sem comentários: